Estou endividado, e agora?

Estou endividado, e agora?

Uma pesquisa recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo revela que 57% da população brasileira está endividada, o que corresponde a mais de 110 milhões de pessoas. Se buscarmos o conceito da palavra “endividar” no dicionário, encontraremos: “Fazer com que (algo ou alguém) fique repleto de dívidas; passar a ser devedor: endividou-se com compras desnecessárias; endividava-se facilmente”. Os motivos para tal situação são diversos. Neste post iremos manter o foco no quão a organização e educação financeira podem contribuir para evitar esta realidade bem como encontrar soluções para reversão do quadro e melhoria da qualidade de vida.

Primeiro passo: Não entre em desespero! Primeiramente busque um diagnóstico fidedigno das dívidas, aceitando a realidade e entendendo qual tamanho dos compromissos e obrigações. Como fazer? Busque informações referente ao montante da dívida junto aos credores e registre em uma planilha ou caderno. Neste momento o menos importante é sofisticar, direcione suas atenções em FAZER.

Após obter informações sobre sua REAL situação financeira, verifique qual é o grau de capacidade de pagamento. Talvez você pense: “Para que ir adiante? Não tenho mesmo como pagar.” Ocorre que o ser humano é extremamente adaptável a todas as situações, as boas e as ruins. No entanto, esforçar-se para evitar a auto sabotagem é imprescindível para o sucesso desta etapa, que vem a ser, o ajuste do orçamento financeiro e busca das soluções.

Não importa o ”tamanho” da sua dívida, sempre haverá uma solução, sem contar que os credores estarão sempre abertos a negociação. Lembre-se que a inadimplência pode gerar adversidades, como restrições no CPF e cobrança de multas. Por exemplo, ao atrasar o pagamento de uma fatura de cartão de crédito, é cobrada uma multa de até 2% do valor total mais taxa de juros em média de 10% , de acordo com o artigo 52 do Código de Defesa do Consumidor. Para evitar esta situação, muitas pessoas acabam recorrendo ao Cheque Especial, que possui, em média, juros de 13% ao mês (a.m) de acordo com o Procon.

Destacamos aqui a importância de buscar linhas de crédito que possibilitem parcelas adequadas ao seu orçamento. Segue alguns exemplos de taxas cobradas no mercado:

Fica a dica: Pesquise e compare! Parece simples? E de fato é. Porém, devemos considerar esta análise para contratarmos produtos com taxas mais atrativas. Para quem já fez, o interessante é quitar e contratar com uma taxa menor.

O que nos move para a busca de soluções e realização das ações necessárias são nossas EMOÇÕES, HÁBITOS e COMPORTAMENTOS. Conscientizar-se é fundamental. Lembre-se: Você é responsável pela sua vida. Priorize seus sonhos e acredite na realização deles. Ter disciplina é ter liberdade.

Até o próximo post!

logo-asas1
logo-voar1
logo-ousar1

© 2019 – EDASUACONTA